Efeito Estufa?

A organização sem fins lucrativos Interprofissional Olive Oil da espanha vai participar  de um projeto europeu que irá calcular a relação  ambiental de azeites e  sua contribuição para a diminuição do efeito de estufa.

O sector do azeite espanhol junto com o grupo interprofissional, vai participar do projeto piloto europeu  PEF  (Production Environmental Footprint), uma iniciativa que vai estudar o acompanhamento dos gases de efeito estufa Durante a mudança climática através do cálculo da influência ambiental no cultivo das arvores de Azeitonas e produção de Azeite.

A mudança climática é uma realidade e a maioria dos consumidores de azeite  têm  ciência disso levando em  conta o efeito estufa sobre o meio ambiente quando em suas decisões sobre quais produtos comprar.

A Pesquisa  Eurobarómetro 367 , mostrou que 80%  dos europeus que, ocasionalmente, estão comprando produtos levam em conta de alguma forma a melhoria do meio ambiente. Na verdade, o impacto ambiental do produto é um fator chave na determinação dos consumidores, apenas atrás do preço e qualidade.

A indústria de azeite  reconhece que os setores econômicos que comunicar eficazmente sobre as informações  ambientais dos seus produtos terão uma vantagem sobre seus concorrentes, e os produtores têm sido rápidos para identificar, através do uso de rótulos ecológicos, produtos e serviços que têm um impacto ambiental reduzido durante seu ciclo de vida.

Para que os consumidores de azeite tenham completa confiança nos rótulos ecológicos, a Comissão Europeia decidiu lançar o projecto-piloto Lines que vai definir as regras para o cálculo do impacto que os azeites tenham  sobre o meio ambiente.

Nesse contexto, a Comissão Europeia pretende desenvolver um modelo estratégico que irá estabelecer um único método para medir o impacto ambiental de um produto (PEF) ou uma organização (Organização Environmental Footprint-OEF), que incidirá sobre o ciclo de vida STI. O projeto está previsto para começar no início de 2017 envolvendo pesquisadores de países interessados como Espanha, Itália, Portugal e Grécia.

O principal objetivo do grupo interprofissional para o projeto é melhorar o modelo que está sendo usado para medir o impacto ambiental atualmente   que  reflete apenas o impacto negativo do ciclo de vida de azeite, ignorando o importante papel que a agricultura e olivais desempenham  no combate às alterações climáticas.

De acordo com os dados apresentados pelo Conselho Oleícola Internacional na Conferência de Mudança Climática, realizada em novembro, em Marrakesh, os técnicos estimam que o ciclo de vida de um litro de azeite, a partir de quando ele é produzido até que seja consumido, gera 1,5 kg de dióxido de carbono para cada quilograma de óleo produzido. Os projectos de rotulagem ecológica são vistos como uma maneira de impulsionar o negócio Europeu de azeite, bem como o meio ambiente.

Fonte – elEconomista
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *