Conheça os 5 tipos de fermentos

Existem 5 tipos de fermentos, utilizados nas produções gastronômicas, que permitem que nossos alimentos fiquem fofinhos, macios, saborosos e com digestão mais fácil. Mas, afinal, o que é o fermento? Trata-se de um agente capaz de produzir fermentação. A levedura é o fermento natural mais popular. Vamos conhecê-los um pouquinho mais?

  1. Fermento químico (aquele em pó e da latinha, que normalmente usamos para fazer bolos) – possui em sua composição bicarbonato de sódio e ácidos orgânicos. Reagem quando em contato com umidade e com elevadas temperaturas. Sua validade consta na embalagem, mas especialistas recomendam que, depois de aberto, deve ser consumido dentro de 3 meses. É sugerido no preparo de bolos, tortas, biscoitos, bolachas, alguns tipos de pães.
  2. Fermento biológico seco (granulado e também conhecido como fermento seco ativo) – trata-se do fermento biológico fresco que passou por um processo de secagem por ar seco. Contém leveduras e emulsificante. Por ser seco, não precisa ficar na geladeira. Sua durabilidade é de até 6 meses e é indicado para pães, pizzas, esfihas.
  3. Fermento biológico seco instantâneo (em formato de pequenos bastões, normalmente vendido em sachês) – a água é extraída das células de leveduras por meio de desidratação e por isso seu processo de fermentação está hibernando. Tem as características semelhantes do fermento biológico seco, com a vantagem de ser misturado diretamente à farinha, sem a necessidade de dissolução. Também não precisa de refrigeração, dura até 2 anos, desde que em embalagem fechada. É empregado em pães, pizzas, esfihas.
  4. Fermento biológico fresco (ou fresco prensado, comercializado em tabletes) – composto por leveduras condensadas, tem validade bem menor (15 dias), e necessita de conservação em geladeira. É mais usado em pães, pizzas, esfihas.
  5. Fermento natural (também chamado de massa madre, na Itália, e levain, na França) usa micro-organismos presentes no ar e na farinha, transformando-se em uma levedura em seu estado selvagem. Leva mais tempo para ser produzido e tem a aparência e textura de uma massa de pão mole. No entanto, resulta em um pão com aspecto rústico, casca crocante, um miolo cheio de alvéolos irregulares e um sabor e textura incomparáveis. É indicado para pães e pizzas.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *